Dicas

8 dicas rápidas para fotografia minimalista

10/06/2016
8 dicas rápidas para fotografia minimalista

Em um primeiro momento, o minimalismo pode parecer algo monótono, simples demais e talvez nem todo mundo se encante logo de primeira por essa forma de linguagem que permeia todas as artes. O minimalismo está presente em peso na música, na pintura, na escultura, na fotografia, no design, na literatura. Enfim, pense em uma forma de arte e você irá encontrar artistas que exploraram (e exploram até hoje) essa maneira de compor e de se expressar. Só isso já deveria ser argumento suficiente para você também se aventurar por essas bandas.

A grande dificuldade, no entanto, talvez seja justamente essa: como ultrapassar a linha tênue entre o minimalismo monótono e o impactante?

Aí vão algumas dicas:

 

Explore o jogo de luz e sombra

A direção da luz, em especial na fotografia em preto e branco, é uma excelente forma de dar destaque a um elemento principal na composição, eliminando os excessos. Via de regra, o minimalismo está sempre procurando fazer uso de poucos elementos para resolver a composição. Use a sombra para esconder elementos e a luz para revelar o que interessa.

Foto: Fraser Mummery

Foto: Fraser Mummery

Use o contraste de cores

Explorar o impacto visual e as sensações emocionais das cores é uma das maneiras que você tem para quebrar a monotonia em fotos minimalistas. Isso pode ser feito utilizando as mais diferentes tonalidades. Nas fotos abaixos, os fotógrafos utilizaram o contraste de cores, ao mesmo tempo em que exploraram a saturação. Só cuidado para não exagerar, pois os objetos podem parecer artificiais. Lembre-se: simplicidade e economia são palavras-chave na composição minimalista, use-as também na pós-produção.

Foto: Arantxa

Foto: Arantxa

 

Foto: brett jordan

Foto: brett jordan

Componha por exclusão

Esconda partes do assunto principal para dar abertura à imaginação. Deixe o espectador ligar os pontos e completar a imagem mentalmente.

Foto: David Rosen

Foto: David Rosen

 

Foto: laurent Bertrais

Foto: laurent Bertrais

 

Foto: Dragan

Foto: Dragan

 

Abuse da geometria

Explore formas geométricas e principalmente as linhas que direcionam o olhar. A foto se torna dinâmica e o olho é convidado a tomar um caminho. Muitas vezes é possível até mesmo experimentarmos uma sensação de movimento apenas observando a obra.

Foto: Emilien ETIENNE

Foto: Emilien ETIENNE

 

Foto: Reinhard Kuchenbäcker

Foto: Reinhard Kuchenbäcker

Dê ênfase ao assunto principal

Utilize massas de textura, cores e formas simples para direcionar o olhar ao assunto principal. Você pode destacá-lo de diversas maneiras, sem ter que necessariamente enquadrá-lo usando a regra dos terços ou deixando-o mais próximo e maior no quadro. O seu assunto pode ocupar um espaço extremamente pequeno no quadro, desde que os elementos que o circundem ou que componham o fundo cumpram o objetivo de guiar o olhar para esse assunto, destacando-o.

Foto: laurent Bertrais

Foto: laurent Bertrais

 

Foto: A. Duarte

Foto: A. Duarte

Use espaço negativo

Essa é uma das principais características da fotografia minimalista. O espaço que circunda a forma dos objetos cria uma espécie de contra-forma. Explore essa contra-forma na composição como um elemento planejado. Ele pode servir ao propósito da dica anterior: ressaltar o assunto principal. Mas cuidado: se a contra-forma não for econômica em elementos, a fotografia pode deixar de ser minimalista caso esses elementos distraiam demasiadamente o olhar.

Foto: damon jah

Foto: damon jah

Aproxime-se

Só de chegar mais perto do assunto principal você já irá automaticamente eliminar o excesso de elementos que o circundam. Com bastante tentativa e erro é possível explorar composições minimalistas muito bonitas até mesmo de objetos simples e corriqueiros, principalmente se você puder usufruir de uma lente macro. Mas ainda que você aproxime no nível da macrofotografia, até mesmo pequenos elementos e sujeiras podem comprometer a composição minimalista. Se for necessário, no Photoshop, elimine essas pequenas sujeiras com o recurso de preenchimento sensível a conteúdo ou a ferramenta carimbo. No Lightroom você pode usar a ferramenta de remoção de mancha.

Foto: Luca Biada

Foto: Luca Biada

Distancie-se

Deixe o assunto principal ocupar um espaço bem pequeno no quadro. Explore ângulos altos, pontos de vista não convencionais. Use sua lente grande-angular.  Essa técnica funciona muito bem principalmente quando o elemento principal é a figura humana. Ela tem um peso psicológico muito grande pra quem visualiza a imagem. Por menor que ela esteja retratada na cena, é muito difícil ficarmos indiferentes. Procure também fazer com que a imagem conte uma história. Escolha bem os elementos que formam o contexto, não só da cena em si, mas também de objetos que a pessoa possa carregar ou interagir. Muitas vezes um simples gesto com as mãos pode ser o suficiente para transformar a foto de uma “pessoa-comum-sentada-em-um-banco” em uma “pessoa-extremamente-nervosa-sentada-em-um-banco”, percebe a diferença?

Foto: judy dean

Foto: judy dean

 

Se você já tentou criar fotografias minimalistas mas se frustrou, tente utilizar essas dicas como um norte para suas composições. Há quem diga que meditar 10 minutinhos antes de sair fotografar ajuda a limpar a mente e deixar ela mais aberta à simplicidade.

 

Compartilhe suas fotos minimalistas conosco deixando um link nos comentários!

 

Boas fotos!

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply José Viturino da Silva 27/05/2017 at 19:45

    Muito bom mesmo

  • Reply Carlos Henrique Silva 26/08/2017 at 10:13

    Mais uma vez ressalto a clareza e objetividade com que apresenta seus artigos e vídeos. Parabéns Moysés.

  • Reply Roberto G. Silva 26/08/2017 at 19:22

    Moysés, obr pelas dicas…sou fotografo amador e tenho paixão por arquitetura…meu último desafio foi achar ângulos da basílica de Apda do Norte…algumas ficaram boas…c as aulas do workshop voltarei mais preparado…abr p ti e grato! Itapira – Sp

  • Comente!