Dicas, Equipamentos

Como evitar fungos nas lentes fotográficas

26/08/2016
Como evitar fungos nas lentes fotográficas

Se você mora em uma região razoavelmente úmida e guarda suas lentes de qualquer jeito em uma estante, as chances são grandes de você já ter problemas com fungos ou de eles estarem se desenvolvendo nas suas objetivas nesse exato momento.

Lentes fungadas são um verdadeiro pesadelo para os fotógrafos porque o primeiro efeito colateral é a perda grosseira de nitidez. Logo ela, a tão desejada nitidez, que nos motiva a gastar caminhões de dinheiro [que não temos, mas arranjamos mesmo assim] em objetivas claras de primeira linha.

Fora isso, uma lente com fungos também produz imagens com manchas, às vezes muito semelhantes a um indesejável flare em regiões fixas da imagem onde o fungo está alocado.

Basicamente, para o fungo surgir na sua objetiva, ele precisa de um ambiente favorável, leia-se: alimento (matéria orgânica), além de uma combinação de temperatura e umidade ideais, facilmente encontradas em países tropicais como o Brasil. Outro fator que contribui para a proliferação de fungos é a falta de luminosidade.

Esse último ponto é importantíssimo porque a maneira mais fácil de prevenção contra fungos é simplesmente usar a lente! Isso mesmo, quanto mais você fotografar, mais a objetiva estará longe dos ambientes sombrios.

Porém, além de fotografar todos os dias com todas as suas lentes não ser algo realmente viável, algumas objetivas mais recentes e modernas possuem camadas que evitam a passagem da faixa de luz que eliminaria os fungos, sendo necessárias outras soluções.

Então o que você deve fazer é criar um ambiente desfavorável à proliferação de fungos para guardar suas objetivas. Há soluções prontas por aí, como caixas para guardar todos os seus equipamentos e até mesmo alguns cases individuais para lentes. Mas é possível criar você mesmo um local de proteção. Não é difícil, mas você precisa tomar alguns cuidados:

1 Controlar a umidade do ar

Mantenha a umidade relativa do ar entre 30% e 60%.

Abaixo de 60% já teremos um ambiente em que a umidade não é alta. Abaixo de 30% teremos um ambiente seco demais, o que pode ocasionar problemas para os demais elementos que compõe a sua objetiva.

Para fazer esse controle, você deve ter um medidor de umidade, o famoso higrômetro. Eles são baratinhos e você consegue comprar um facilmente no Mercado Livre.

Medidor de umidade: higrômetro

Além disso, para que você consiga reduzir a umidade, você irá precisar de saquinhos de Sílica Gel. Existe um tipo, a Silica Gel Azul*, que é um pouco mais cara que a normal, porém com uma grande vantagem: ela muda sua coloração para rosa quando está hidratada, por possuir em sua composição sais de cobalto. Ou seja, ela te avisa quando está saturada de umidade.

Sílica gel azul

Quando isso acontece, você pode recuperar essa Sílica saturada, desidratando-a de uma maneira bem simples: basta aquece-la no forno em temperatura em torno de 100-120º, até que ela volte a ficar azul. Esse procedimento pode ser realizado de 3 a 5 vezes. Você também consegue comprá-la facilmente no Mercado Livre.

*ATENÇÃO: Uma leitora compartilhou conosco uma publicação apontando o cloreto de cobalto, a substância que proporciona a coloração azul à silica gel, como altamente tóxico e cancerígeno. A fonte você encontra nesse pdf, publicado originalmente nesse link. Sendo assim, definitivamente retirei a Sílica Gel de coloração azul da minha lista de indicações. A publicação sugere o uso de uma sílica de cor laranja (âmbar) que modifica sua coloração para cinza escuro esverdeado quando saturado de umidade. Caso você não encontre essa sílica, poderá usar a sílica normal, sem coloração específica para indicação de saturação, porém mantendo uma agenda rigorosa de reposição.

2 Criar um microambiente controlável

Se você colocar a Silica Gel ao lado de suas objetivas na estante, ela vai saturar no primeiro dia chuvoso. Para resolver esse problema, você deve armazenar suas lentes dentro de um pote hermeticamente fechado.

Pote hermeticamente fechado

Atente para o hermeticamente fechado. Se você usar um pote qualquer, a umidade entra facilmente e não vai ser muito diferente do que se elas estivessem soltas na estante.

Esse tipo de pote, embora um pouco mais caro que os normais, é facilmente encontrado em qualquer loja de produtos para casa. O ideal é comprar um pote grande, que caiba todas as suas objetivas, para poder compartilhar a medição do higrômetro.

Também é muito importante que esse pote seja transparente e não fique guardado dentro de um armário. Lembre-se de que os fungos não gostam de luz. Mas cuidado: deixar suas objetivas ao lado da janela tomando sol por horas e horas também pode danificar determinados elementos ao longo do tempo.

Certa vez um fotógrafo brincou comigo: cuide delas como você cuida de você. Você não vai querer suas objetivas com câncer de pele!

Agora dentro desse microambiente controlado, você pode guardar suas objetivas deitadas e remover as tampas, tanto a frontal, quando a traseira para que a lente fique na presença da luz ambiente.

Antimofo eletrônico

Outra alternativa é o uso de antimofos eletrônicos, muito comuns para o controle de umidade em armários. Verifique o tamanho do espaço em que você irá guardar suas câmeras, para que ele seja compatível com a capacidade do aparelho antimofo em m³.

Antimofo Mofim

Note que com o uso do antimofo eletrônico também é necessário controlar a umidade com o higrômetro.

Devo controlar a temperatura?

Via de regra, o ambiente favorável para a proliferação dos fungos é escuro, com umidade acima de 60/70% e temperatura entre 10 e 35º. Se você conseguir, além de controlar a umidade, também controlar a temperatura para que ela fique em torno de 40º, você terá a situação ideal, embora a associação do controle de umidade, luminosidade, uso frequente e limpeza já costumam resolver.

Cuidado, no entanto, para que a temperatura não fique acima de 50º, pois poderá danificar seus equipamentos.

3 Drybox: pra quem tem orçamento

38L electronic automatic digital control dry box cabinet(moisture-proof box) storage for DSLR camera lens, Built-in LED light storage

Se você tem objetivas de primeira linha, na casa dos milhares de reais, a última coisa que você quer é negligenciar o cuidado com elas. Assim, pagar por uma solução igualmente top de linha, mesmo com seu preço elevado, não é assim uma má ideia, certo?

As Drybox são muito semelhantes as adegas climatizadas para vinho. Possuem uma porta de vidro para entrada de luz e estantes para acomodação das câmeras e lentes. Elas já possuem o sistema de controle de umidade e o higrômetro embutidos e vão deixar seu escritório com estilo.

Infelizmente não são produzidas no Brasil e, apesar de serem produtos relativamente baratos nos EUA (há modelos de 100 a 500 dólares, como esse e esse), quando adicionados os custos de frete e importação, chegam a custar de 2 a 3 mil reais por aqui em lojas no Mercado Livre.

4 Cuidar, cuidar e cuidar

Crie o hábito saudável de limpar suas objetivas todas as vezes antes e depois de fotografar. Assim você irá garantir duas coisas: fotos melhores, mais nítidas e sem pontos de poeira e sujeira que vão te tirar o bom humor na pós-produção e também você irá reduzir a quantidade de matéria orgânica em contato com as objetivas durante o armazenamento no pote.

Dica de ouro: se suas objetivas vieram com aqueles saquinhos de veludo, tire-as já dali! Inclusive, livre-se desses saquinhos e esqueça que um dia eles existiram! Pare pra pensar: eles são escuros, grudam poeira, sugam sujeira e estão em contato direto com as objetivas. Precisa dizer mais alguma coisa? Pra mim eles não servem nem para transportá-las!

 

Bom, certamente existem outras maneiras e produtos para evitar a proliferação desses demônios. Se você tem uma experiência boa com algum outro método, comente e ajude a livrar o mundo dos fungos!

You Might Also Like

12 Comments

  • Reply Sérgio Ricardo M. de Oliveira 29/08/2016 at 08:34

    Caro Moysés, gostaria muito de agradecer a você todo o apoio que você tem dado a nós que somos fotógrafo amador, a sua ajuda é de grande importância para nós e principalmente para mim pois tenho lido as suas dicas e informações, tenho aprendido muito. Essa sua informação sobre como guardar as lentes me ajudou muito mesmo, continui assim nos ajudando em como em nos tornar um bom fotógrafo. Abraços.
    Sergio Ricardo

    • Reply Moysés Lavagnoli 29/08/2016 at 14:27

      Poxa Sérgio, muito obrigado pelos elogios, meu caro! Me motiva a continuar escrevendo! Fique de olho no seu e-mail que logo logo tem mais coisa boa! Um abraço!

  • Reply José Antonio Nader 30/09/2016 at 14:33

    Valeu pelas dicas, Moysés.

    Assim como você, também moro numa região praiana com altos índices de umidade.
    Suas dicas são realmente funcionais.
    Recentemente confeccionei uma caixa com prateleiras vazadas de plástico onde instalei um Mofin combinado com uma lâmpada led .
    Mantenho, assim, um ambiente desfavorável ao aparecimento desse antipáticos seres.

    Em tempo: suas 50 dicas são demais, super bem escritas, diagramadas e ilustradas.
    Parabéns e obrigado.

    J.A.Nader

    • Reply Moysés Lavagnoli 30/09/2016 at 15:35

      Poxa José, eu que agradeço seus elogios! Estou utilizando o Mofim também e tem funcionado legal. Pela medição do higrômetro tem dias que está tão úmido que é difícil até mesmo pra ele conseguir baixar de 60%. Por isso que é importante usar bastante elas e até mesmo dar um banho de sol (sem excessos) de vez em quando pra tirar a umidade.

  • Reply Rogério Duarte Lopes 25/04/2017 at 13:02

    Moysés, obrigado pela dica. Guardo minha D5300 com a lente 18-55mm na bolsa junto com o flash e a minha 55-300mm. Dentro da bolsa deixo um saquinho de silica gel, mas não troco ele a muito tempo. A minha 55-300mm fica dentro daquele saquinho de veludo que veio com a objetiva. Eu pensava em proteção extra, mais depois do seu post vou dar cabo dela! Vou fazer o mesmo com o saquinho de veludo que protege o flash, pois fica dentro da bolsa!

    • Reply Moysés Lavagnoli 25/04/2017 at 13:13

      Oi Rogério! Esse saquinho de silica provavelmente já está vencido há tempos e o saquinho de veludo também já deve ter se transformado num “buffet livre” para fungos! Corre com isso tudo e arranja um pote plástico transparente e um Mofim. E a dica de ouro que nunca cansa: fotografe todos os dias! O uso diário é o que mais combate os fungos! Abraços!

  • Reply ANTONIO CANAL NETO 28/08/2017 at 10:55

    Para aqueles que ainda duvidam, afirmo , esta dica realmente funciona, o custo é ridiculamente baixo em relação ao beneficio, meu DRY BOX (caixa seca) custou menos de R$ 100,00 e comporta 2 Dslr 5 lentes.
    Temperatura média = 25 a 30º
    Umidade aproximada de 35%.

    • Reply Moysés Lavagnoli 28/08/2017 at 13:00

      São 100 reais que valem cada centavo. Mandar limpar uma lente fungada depois vai custar algumas vezes isso (por lente). Valeu Antonio!

  • Reply Melissa 07/01/2018 at 18:36

    As dicas são ótimas, mas em relação à sílica azul, o cloreto de cobalto que é usado para dar a coloração na sílica é altamente tóxico. Acabei comprando uma caixa de sílica azul e estou buscando um lugar para descartar adequadamente. http://pregaoeletronico.cesp.com.br/Licita%5Cdv_int.nsf/4.2.V/9935B6A0DA078B3303257BE4004A380F/$File/catalogo%20silica%20gel.pdf

    • Reply Moysés Lavagnoli 08/01/2018 at 13:18

      Melissa, estou sem palavras para agradecer sua contribuição. Eu mesmo, apesar de utilizar o mofim para o grosso dos meus equipamentos em uma caixa, ainda utilizava a sílica azul para algumas outras coisas. Se descobrir o local adequado para descarte, por favor, compartilhe aqui conosco também, ok? Alterei o artigo já atentando para o risco dessa substância. Muitíssimo obrigado!

  • Reply talita 21/05/2018 at 16:42

    Boa tarde!
    No caso da T 3i eu consigo tirar a lente do corpo da câmera?

    • Reply Moysés Lavagnoli 21/05/2018 at 18:34

      Sim, Talita. A T3i é uma DSLR. Toda DSLR tem como característica principal a possibilidade de trocar as lentes.

    Comente!