Dicas

Como expandir o ângulo de visão de suas lentes normais e teleobjetivas

03/02/2017
Como fazer uma fotografia grande-angular com objetivas de maiores distâncias focais

Passeando por uma cidade a turismo, você se encontra diante de uma belíssima fachada de um edifício histórico.

Nesse dia, no entanto, você escolheu sair com uma câmera de entrada e uma lente 50mm f/1.8.

A escolha é por motivos óbvios: um conjunto leve e portátil que vai te proporcionar um passeio mais confortável. A objetiva é clara e permite fotografar o fim de tarde com mais flexibilidade.

Além disso, o conjunto é relativamente barato. Ou seja, em caso de furto, o choro é menor.

O problema é que encaixar a fachada de um edifício com o campo de visão de uma 50mm é uma tarefa complicadíssima.

Ambientes internos, então… Pior ainda!

Nem sempre é possível dar tantos passos para trás e “fazer caber na cinquentinha”.

Isso sem falar que a 50mm montada em uma DSLR de entrada, com sensor APS-C, tem o ângulo de visão equivalente a uma 75mm montada em uma câmera Full Frame, ou seja, cabe ainda menos cena no quadro.

Nesse tutorial, você vai descobrir uma maneira de “hackear o sistema” e aumentar o ângulo de visão da sua lente.

O legal é que essa técnica não se restringe à sua cinquentinha e pode ser feito com distâncias focais maiores também!

 

O fundamento

Basicamente o que você irá fazer é posicionar a sua câmera em um tripé na frente da fachada, e dividi-la em quadrantes.

Não são necessários obrigatoriamente 9 quadrantes como no exemplo abaixo. A quantidade de quadrantes será de acordo com a sua objetiva, o espaço que você tem disponível para andar para trás e o enquadramento que você deseja da cena. Em alguns casos, apenas 4 quadrantes são suficientes. Em outros, é necessário até mais do que 9.

Cada quadrante será uma fotografia capturando uma parte da cena, com o ângulo de visão que a sua objetiva consegue captar.

A somatória dos quadrantes, posteriormente mesclada no Photoshop, resultará na fachada por completo.

Divida a cena em quadrantes

Divida a cena em quadrantes

Intersecções

Durante a captura, os quadrantes devem manter cerca de 20% de intersecção entre eles.

Ou seja, se você fotografar da esquerda para a direita, 20% da lateral direita da primeira foto deve ser igual a 20% da lateral esquerda da segunda foto.

O mesmo vale para as intersecções entre quadrantes acima e abaixo um do outro. Ou seja, 20% da parte de baixo da foto de cima deve ser igual a 20% da parte de cima da foto de baixo.

Confuso? Não precisa ficar. É exatamente a mesma lógica de criação de panorâmicas, porém com o eixo vertical também incluso. (Ver também: “como fazer fotos panorâmicas“.)

Intersecções entre os quadrantes

Intersecções entre os quadrantes

Isso é indispensável para que o Photoshop reconheça os limites entre cada uma das fotos e possa compreender em que ponto elas se conectam para fazer a mescla.

 

Como combinar os quadrantes no Photoshop

Note, nos quadrantes do nosso exemplo abaixo, que mesmo em se tratando de uma pequena igrejinha, o ângulo de visão da 50mm é incapaz de cobrir toda a fachada.

Nesse caso, 12 quadrantes foram necessários para cobrir toda a extensão, com uma margem de 20-30% de intersecção entre as laterais.

Divisão da cena em quadrantes com objetiva 50mm

Passo 1: a captura

  • Exposição em modo manual, com os mesmos valores de abertura, velocidade e ISO para todos os quadros.
  • O balanço de branco não deve ser feito no automático, para evitar variações entre os quadros. (A menos que você fotografe em RAW e equilibre todas as imagens na pós-produção).
  • Abertura pequena do diafragma (no caso acima foi usado f/22) para conseguir profundidade de campo grande em todas as imagens e minimizar problemas de desfoque nas junções.

Passo 2: a junção

1 – No Photoshop, vá em Arquivo > Scripts > Carregar arquivos na pilha…

Carregar arquivos na pilha

 

2 – Na tela que irá abrir, clique em procurar e selecione todas as imagens que você produziu (todos os quadrantes).

3 – Marque a opção “Tentativa de Alinhar Automaticamente as Imagens de Origem”.

4 – Clique em OK e aguarde a operação finalizar.

Carregar arquivos na pilha - parte 2

 

5 – O resultado da mescla será uma imagem que necessita de crop e de alguns ajustes finos nas intersecções.

Resultado da mescla dos quadrantes

6 – Faça o recorte dos excessos com a Ferramenta Corte Demarcado (atalho de teclado = tecla C).

Recorte dos excessos

7 – Você terá a imagem final com a junção dos quadrantes ainda separados em camadas. Perceba que há problemas nas ligações (divisas) entre os quadrantes, apresentando linhas bem marcantes.

Problemas nas intersecções das imagens

8 – Para eliminar os problemas nas intersecções, basta criar máscaras em cada uma das camadas e, em seguida, passar o Pincel na cor preta sobre as regiões que apresentam problemas.

Ajuste a dureza do pincel para 0% (com o pincel selecionado, clique sobre a imagem com o botão direito do mouse para acessar esses controles).

Utilize o ícone de olho ao lado de cada camada para ocultá-las temporariamente e descobrir a correspondência entre as fortes marcações nas divisas e qual camada está gerando o problema.

Se você não sabe como usar máscaras, clique aqui e confira nosso guia básico.

Suas máscaras ficarão mais ou menos assim:

Máscaras

 

9 – E o resultado final da nossa grande-angular falsa:

Resultado final da imagem grande-angular falsa

 

Conclusões

Muito embora essa seja uma técnica que exige alguns cuidados na captura, bem como um certo tempo de pós-produção, ela é um verdadeiro salva-vidas quando não nos encontramos com uma grande-angular diante de algo que suplica por uma.

Caprichar na estabilização da imagem e na correta divisão dos quadrantes com espaço para intersecções entre eles é fundamental para bons resultados.

Suas primeiras tentativas podem ser um pouco frustrantes, com junções problemáticas. Mas não desista!

É necessário um pouquinho de prática, porém a técnica é bastante simples e pode ser feita por iniciantes.

A única coisa um pouquinho mais elaborada do processo é o ajuste fino das intersecções pelo uso de máscaras. Algo que certamente todos que desejam saber tratar imagens deve aprender o mais rápido possível.

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply miguel angelo 03/02/2017 at 13:59

    Bom saber…

  • Comente!