Dicas

Como fotografar fogos de artifício

21/11/2017
Como fotografar fogos de artifício

Foto: ben o’bro

Para alegria geral da nação e pesadelo para donos de cachorros, as festas de fim de ano estão chegando e os fogos de artifício pintarão novamente o céu das cidades em todo o mundo.

Prato cheio para fotógrafos amadores ou profissionais, a fotografia de fogos de artifício requer o uso de técnicas de longa exposição, sendo necessário realizar ajustes manuais e tomar alguns cuidados especiais para obter resultados de alta qualidade.

Nesse artigo você irá conferir uma série de dicas fundamentais para capturar o rastro do movimento dos fogos e compor com a paisagem.

1 – Estabilização

Como você já deve ter imaginado, fotografar em longa exposição exige obrigatoriamente o uso de tripé, que deve ser bem firme, já que esse tipo de fotografia é feito ao ar livre onde normalmente há a influência de ventos.

Além disso, o uso de um disparador remoto, seja ele a cabo ou sem fio é fundamental para eliminar o tremor na câmera ocasionado pela pressão no botão de disparo.

Eu particularmente prefiro os disparadores com fio nesses casos, já que o sensor para disparos por controles remotos fica em geral na parte da frente da câmera, o que torna o acionamento menos confortável.

2 – Exposição

Aqui vale usar o modo manual levando-se em consideração 3 pontos:

Fotografando fogos de artifício: ISO

Foto: Nigel Howe. ISO 100 | f/11 | 5”

a) ISO baixo. Pode parecer contraditório, já que no caso de uma fotografia noturna normalmente usamos ISO alto para compensar a falta de luz.

Mas se você parar para pensar, fogos de artifício são fontes de luz extremamente potentes! Com o uso do ISO baixo você terá fotos com menos ruído, mais nítidas e vai poder usar velocidades mais lentas.

Você poderá usar o ISO mais baixo da sua câmera ou valores entre 100 e 400.

Fotografando fogos de artifício: obturador

Foto: lysinewf. ISO 200 | f/20 | 13”

b) Velocidade lenta do obturador. Como o objetivo é registrar o rastro dos fogos, é necessário que o obturador da câmera deixe entrar luz durante alguns instantes.

Velocidades abaixo de 1/20 até algo como 20 segundos serão capazes de registrar o rastro, com variações estéticas a cada fração de segundo.

Vale experimentar com diferentes velocidades e, se preferir, avaliar a velocidade que proporcionou os melhores resultados e ficar com ela até o final do estouro de fogos.

Outra possibilidade também é fotografar em modo bulb, ou seja, o modo em que o obturador permanece aberto enquanto você não clicar novamente no disparador para fechá-lo. O tempo de exposição, nesse caso, seria calculado mentalmente, observando-se o desenrolar da explosão de cada um dos fogos. Você abriria, então, o obturador imediatamente antes da explosão e fecharia tão logo ela terminasse, por exemplo.

Fotografando fogos de artifício: abertura do diafragma

Foto: Epic Fireworks. ISO 100 | f/11 | 13”

c) Abertura do diafragma. De modo geral aberturas menores entre f/8 e f/16 serão ideais por três motivos: a profundidade de campo será maior, de modo que a paisagem que compõe a cena ficará também em foco; você correrá menos risco de errar o ponto do foco deixando os fogos desfocados e, por fim, com menos luz entrando ao mesmo tempo, você libera o combo velocidade lenta+ISO baixo, sem superexpor a imagem, ou seja, sem deixar ela clara demais.

3 – Redutor de vibração

Como você está fotografando com tripé, é recomendado desligar esse recurso em sua lente para melhores resultados.

4 – Foco

Utilizar o autofoco faz com que você perca tempo entre os disparos, já que o sistema será acionado o tempo todo. O ideal é encontrar o ponto de foco ideal nos primeiros fogos estourados e logo em seguida travar a câmera em foco manual.

Nesse momento a sua agilidade em encontrar o ponto de foco rapidamente vale muito, já que os primeiros fogos disparados não contam com excesso de fumaça no céu e proporcionam as fotos mais nítidas, ou seja, você não vai querer perdê-los.

Se você estiver bem distante dos fogos, é possível também que o foco no infinito seja a solução definitiva para essa questão.

5 – Composição

Fotografando fogos de artifício: composição

Foto: Daniel Olah

Aqui vale a pena usar uma lente zoom, que pode ser inclusive aquela lente baratinha do kit que acompanha a câmera.

É claro que lentes claras e primes, via de regra, apresentam qualidade superior de imagem, com maior nitidez e menos distorções e aberrações, porém, como estamos lidando com fotografia com aberturas menores do diafragma, a velocidade da lente, ou seja, sua abertura máxima, não faz diferença para fotografar fogos de artifício.

Utilizando uma lente zoom você terá mais possibilidades para explorar diferentes composições entre figura e fundo ou seja, entre os fogos e a paisagem. Além disso, as chances são grandes de você se encontrar em algum tipo de aglomeração e não conseguir com tanta facilidade mudar sua posição física.

Dependendo da distância focal de sua lente zoom, será possível também, fotografar os fogos no detalhe, preenchendo todo o quadro da imagem.

Vale também abusar da fotografia em modo retrato, já que a composição na vertical pode ser imprescindível para fazer caber a cidade e os fogos muito ao alto no céu.

6 – Flash

A luz gerada pelo flash só tem a capacidade de iluminar alguns metros à frente da câmera, sendo inútil para esse tipo de fotografia, assim como em shows, jogos de futebol e quaisquer eventos onde a ação ocorre há muita distância.

A menos que você precise iluminar a paisagem logo a frente da sua câmera, deixe o flash desligado.

7 – Planeje

Fotografando fogos de artifício

Foto: Ryan Wong.

Eu sei que é complicado, em especial no ano novo quando há muita comida envolvida nos momentos que antecedem os fogos, mas vale a pena se programar para chegar horas antes e explorar a paisagem em busca do ponto ideal.

Lembre-se que a fotografia de fogos de artifício também é uma fotografia de paisagem. A menos que você registre apenas os fogos preenchendo o quadro, o que também é válido, mas o resultado é sempre mais interessante quando há contexto além dos fogos em si.

8 – Fogos diurnos

Lee Filters: Densidade Neutra

Lee Filters: Densidade Neutra

Se a noite ainda não tiver caído por completo e fogos legais estiverem sendo disparados em sua região, é possível utilizar um filtro de densidade neutra para escurecer a sua lente e liberar a velocidade lenta durante o dia.

9 – Desligue a redução de ruído em exposição longa

Eu já li até mesmo em sites oficiais de grandes fabricantes de câmeras que deveríamos manter esse recurso ligado para fotografar fogos de artifício. Essa decisão fica a seu critério, mas eu particularmente prefiro deixar esse recurso desligado.

Como ele é um procedimento realizado internamente após o disparo, e é um procedimento lento, o risco de se perder um clique perfeito é muito grande.

Para mim, mais vale capturar o máximo possível e reduzir ruído posteriormente na edição, do que não ter a foto perfeita para tratar. Simples assim.

Mas se você não gosta de pós-produção e quer a foto prontinha direto da câmera, então ligue esse recurso. Certamente trará melhores resultados, mesmo a custa de perder alguns cliques.

10 – Fotografe em RAW

Fotografar em RAW faz com que sua câmera registre mais informação de cor no arquivo digital do que o JPG.

Em outras palavras, na hora da pós-produção você terá mais flexibilidade para resgatar detalhes nas áreas de luz e sombra e encontrar a exposição ideal.

Em uma paisagem com fogos de artifício, teremos, sem dúvidas, um contraste muito grande entre essas áreas de luz e sombra, um prato cheio para usufruir o que o RAW tem de melhor a nos oferecer.

Conclusões

Dicas para fotografar fogos de artifício

Foto: Jamie Street.

Fotografar fogos de artifício pode ser um pouco intimidador aos iniciantes pois exige o controle de abertura, diafragma e ISO em modo manual. Além, é claro, da dificuldade de encontrar o foco, compor com a paisagem e encontrar o lugar ideal pra ficar.

Mas se você simplificar usando tripé, ISO 100, abertura f/8 e fotografar com o modo bulb sem economizar nas tentativas, certamente conseguirá resultados impressionantes, infinitamente superiores aos de celulares em modo automático.

Se isso tudo for muito complicado para você, vale a pena verificar se a sua câmera possui um modo pré-definido de ajuda para fogos de artifício.

Muitos modelos de câmeras, das mais diversas categorias, já vem com esse modo embutido, que nada mais é do que uma configuração pré-definida pelo fabricante para que a câmera use ajustes semelhantes aos comentados nesse artigo.

Agora uma coisa é certa: se você vai fazer manualmente ou com o modo de ajuda de sua câmera, não negligencie a estabilização! Use tripé ou encontre uma maneira de estabilizar a sua câmera sobre um muro ou um banco. Essa é a única maneira de evitar fotos borradas em exposição longa.

You Might Also Like

Nenhum Comentário

Comente!