Notícias

O novo MacBook Pro: erros e acertos para fotógrafos

10/11/2016
Novos MacBook Pro: acertos e erros para fotógrafos

Em outubro de 2015, nós brasileiros que trabalhamos com fotografia, edição de vídeo e criação recebemos uma notícia cruel: os produtos da Apple teriam reajustes de até 150% nos preços. Um soco no estômago.

É claro que existem alternativas. O novo Windows 10 melhorou bastante e é possível encontrar boas opções de PCs sem ter que gastar o preço de um carro.

Mas quem já trabalhou com computadores da Apple, sabe: a qualidade é incrível, a experiência é sem igual, a durabilidade é impressionante e o sistema operacional tem um desempenho insuperável.

Agora, o último lançamento da Apple e queridinho dos fotógrafos pela sua portabilidade e potência, o MacBook Pro, trouxe más notícias: quem comprá-lo terá que gastar, além do seu preço elevado, uma quantia significativa de dinheiro com adaptadores.

O erro: o leitor de cartões SD sumiu!

O primeiro adaptador que os fotógrafos irão comprar será um leitor de cartões de memória USB, pois a Apple simplesmente extinguiu o leitor SD embutido.

Se você já tiver um leitor de cartões de memória do padrão antigo, o USB-A, também será necessário um adaptador de USB-A para USB-C, já que todas as portas do MacBook Pro são do novo padrão, mais veloz e versátil.

SanDisk Extreme Pro SD UHS-II Card USB-C Reader

SanDisk Extreme Pro SD UHS-II Card USB-C Reader. Um leitor de cartões SD a venda por 29 dólares na Apple Store americana.

A estratégia da Apple sempre foi de disrupção, não havendo preocupações com transições graduais. O que pode ser bom ou ruim, dependendo do seu ponto de vista.

Na prática, significa mais gastos com adaptadores e o carregamento de penduricalhos por um bom tempo. Por outro lado, a companhia força a indústria de periféricos a acelerar a atualização por padrões novos, mais rápidos e eficientes.

A seguir você confere a justificativa, segundo Phil Schiller, vice-presidente de Marketing da companhia, quando indagado sobre a remoção dos leitores SD:

Por dois motivos. Primeiro, é um slot desajeitado. Você tem essa buraco no meio do caminho. Aí existem leitores de cartão USB muito bons e velozes e então você pode usar tanto cartões CompactFlash quanto os SD. Então nós nunca conseguiríamos realmente resolver isso – nós escolhemos o SD porque mais câmeras tinham SD, mas você só pode escolher um. Então havia sido uma troca. E também mais e mais câmeras começaram a disponibilizar a transferência sem fio. Isso está se provando muito útil. Então nós pensamos que há um caminho para frente em que você pode usar um adaptador físico se quiser ou fazer a transferência wireless.

Eu, particularmente, acho aquele slot “desajeitado” extremamente útil, e mais: um buraco no meio do caminho absolutamente necessário. Definitivamente não acho legal o uso de adaptadores para uma ação que é feita a exaustão por fotógrafos todos os dias.

Além disso, os computadores da Apple há tempos já não vem mais com drive de DVD, o que foi essencial para a redução do tamanho dos laptops da maçã.

Porém, muitos fotógrafos ainda entregam fotografias em CD’s e DVD’s por uma questão de preferência do cliente. O que exige mais duas compras: um gravador externo, o SuperDrive, que a Apple vende por R$549,00 e, é claro, um adaptador para USB-C. O original da Apple custa R$59,00.

Conexões de vídeo

Sim, a porta HDMI também veio a óbito nos novos MacBook Pro. A conexão com televisores, monitores e projetores deverá ser feita via USB-C, obviamente com o uso de um adaptador. Nesse caso, o USB-C para HDMI é vendido por R$ 319,00. Posso ver suas lágrimas daqui.

 

O acerto: Touch Bar

macbook-pro

Até então vimos uma série de decisões polêmicas e controversas. Mas é óbvio que a marca mais valiosa do mundo, na avaliação da Interbrand, iria nos surpreender positivamente em algum momento.

E por incrível que pareça, a inovação veio por conta de mais uma eliminação: as teclas de função do teclado.

Mas calma, você não vai precisar comprar um teclado/adaptador USB-C com as teclas de F1 a F12! Elas foram substituídas pela Touch Bar, uma barra de ferramentas sensível ao toque que promete revolucionar a maneira como interagimos com os aplicativos.

A Touch Bar e o Photoshop: feitos um para o outro.

Logo após o evento de lançamento dos novos MacBook Pro, Bradee Evans, a Experience Design Manager da equipe de desenvolvimento do Photoshop, subiu ao palco para mostrar como os dois irão funcionar em conjunto.

É possível ver o uso da Touch Bar para criar uma composição com duas imagens de maneira mais fluída, sem ter que percorrer alguns caminhos intrincados dentro da interface do Photoshop.

Aparentemente a Touch Bar tem potencial para se tornar uma espécie de Loupedeck sem botões.

Ainda tenho minhas dúvidas se será confortável lidar com os controles na parte superior do teclado. Em um primeiro momento me parece haver um problema de ergonomia, já que não há uma posição confortável para o descanso das mãos enquanto opera-se a Touch Bar. Isso implicaria colocar os punhos sobre as teclas do teclado, o que não é uma opção viável. Veremos…

Super legal, mas definitivamente não será a Touch Bar que irá eliminar a necessidade de decorarmos os atalhos ninjas de Photoshop!

You Might Also Like

Nenhum Comentário

Comente!