Dicas, Equipamentos

Resistência à agua em câmeras DSLR: dá pra confiar?

15/01/2018
Teste de resistência à água em câmeras DSLR

Os fabricantes de câmeras e objetivas têm utilizado há um bom tempo o termo weather sealing para informar ao consumidor que seus produtos possuem o que no Brasil tem sido traduzido como “resistência contra poeira e intempéries”.

Note que se você não estiver bem atento, é possível confundir essa suposta “resistência contra intempéries” com “produto à prova d’água”.

Pode parecer a mesma coisa, mas a realidade é bem diferente. No caso de um produto à prova d’água, ele deve manter seu aparelho funcionando perfeitamente mesmo quando totalmente submerso em água, com uma profundidade pré-estabelecida. Lembra-se daquele seu relógio à prova d’água com resistência de até 3m de profundidade?

Já no caso da resistência contra intempéries não existe exatamente um padrão que informa o que de fato isso significa e, quando compramos câmeras e objetivas com esse nome bonito na embalagem, não temos a exata certeza do grau de proteção dos nossos equipamentos.

Existe, no entanto, um padrão internacional chamado Grau de Proteção IP (International Protection Marking), que classifica o grau de proteção de produtos eletrônicos contra intrusão, poeira e água.

Seria bem mais fácil levar a sério o selo “resistência à intempéries” estampado nas embalagens, se ao lado fosse também descrito os valores desse grau IP, algo que até então eu não tenho visto no mundo das câmeras digitais e objetivas.

Ainda sobre o Grau de Proteção IP, segundo a Wikipedia:

A norma tem como objetivo fornecer aos usuários informações mais detalhadas do que termos de marketing vagos, como especificações dos equipamentos à prova d’água. Os dígitos (numerais característicos) indicam a conformidade com as condições, resumidas em tabelas. Onde não há dados disponíveis para especificar um grau de proteção em relação a um dos critérios, o dígito é substituído com a letra X. O dígito 0 é utilizado quando nenhuma proteção é fornecida.

O código que define o grau de proteção IP é composto por 3 dígitos. O primeiro se refere às partículas sólidas, o segundo ao meio líquido e o terceiro à resistência ao impacto mecânico (deixou de ser utilizado). O código pode ser expresso, por exemplo, das seguintes formas: IP 01, IP 21, IP 42.

Primeiro dígito:

  • 0 – Não protegido
  • 1 – Proteção contra objetos sólidos com 50 mm de diâmetro ou mais
  • 2 – Proteção contra objetos sólidos com 12,5 mm de diâmetro ou mais
  • 3 – Proteção contra objetos sólidos com 2,5 mm de diâmetro ou mais
  • 4 – Proteção contra objetos sólidos com 1,0 mm de diâmetro ou mais
  • 5 – Proteção contra poeira
  • 6 – À prova de poeira

Segundo dígito:

  • 0 – Não protegido
  • 1 – Protegido contra gotas que caiam na vertical
  • 2 – Protegido contra gotas que caiam na vertical com corpo inclinado a até 15°
  • 3 – Protegido contra borrifo de água
  • 4 – Protegido contra jorro de água
  • 5 – Protegido contra jatos de água
  • 6 – Protegido contra jatos potentes de água
  • 7 – Protegido contra imersão temporária em água de até 1 metro por 30minutos
  • 8 – Protegido contra a imersão contínua em água
  • 9K – Protegido contra água proveniente de jatos de vapor e alta pressão

A prova real

O website Imaging Resource, por meio de dois colaboradores, Dave Etchells e Dave Pardue, colocou à prova o weather sealing de 4 excelentes modelos de câmeras (Nikon D850, Sony A7R III, Canon 5D Mark IV e Olympus OM-D E-M1 Mark II) e o resultado a gente pode conferir no vídeo abaixo.

Em resumo o teste foi feito em um primeiro momento com um banho moderado de água durante 15 minutos e posteriormente com um nevoeiro d’água também por 15 minutos, revelando a seguinte performance de resistência:

  • A Sony A7R III obteve o resultado mais fraco, tendo deixado entrar água no compartimento da bateria e apresentado mal funcionamento durante o teste com 15 minutos de nevoeiro d’água.
  • A Nikon D850 permaneceu seca em sua totalidade, com a única exceção de deixar entrar uma gota d’água no viewfinder. Um segundo teste foi feito colocando a tampa da sapata do flash (hot shoe), o que resolveu o problema no viewfinder.
  • Tanto a Canon 5D Mark IV, quanto a Olympus OM-D E-M1 saíram intactas do teste, apresentando uma performance superior às suas concorrentes.

Conclusões

Jamais interprete o termo weather sealing e resistência à intempéries como se fossem especificações de um produto à prova d’água.

Utilize proteções específicas para situações de risco e não confie totalmente na resistência de seus equipamentos em caso de chuva.

Case à prova d'água para câmeras DSLR

Case à prova d’água para câmeras DSLR DiCAPac

Procure por produtos como Cases à Prova D’água (Waterproof Case) e Caixas Estanque (Underwater Housing) para proteger sua câmera em situações extremas.

caixa estanque para câmeras dslr

Caixa Estanque Ikelite

Considere a compra de câmeras efetivamente à prova d’água, como modelos de câmeras de ação, caso você tenha a necessidade de trabalhar nesse tipo de condição climática com frequência.

Ricoh WG-50 - câmera compacta à prova d'água, choque, congelamento e poeira.

Ricoh WG-50 – câmera compacta à prova d’água, choque, congelamento e poeira.

Em caso de contato com água, dedique tempo para inspecionar seus equipamentos e secar cuidadosamente todas as partes atingidas. Muito cuidado também quando a situação envolveu proximidade com o mar, pois provavelmente haverá a necessidade de remover cuidadosamente eventuais partículas de sal em razão da água do mar e da maresia.

You Might Also Like

Nenhum Comentário

Comente!