Dicas

Você sabe o que é fotografia vernacular? Nunca vi, nem comi eu só ouço falar!

05/08/2016

Foto: Alan Light.

Fique tranquilo, apesar do nome aparentemente pomposo, a fotografia vernacular não tem absolutamente nada de complicado ou de erudito. Aliás, a fotografia vernacular responde por uma grande parte das fotografias que você fez durante toda a sua vida e que todos nós fazemos até hoje, não importa o quão profissional-só-fotografo-com-full-frame você seja.

A fotografia vernacular nada mais é do que aquela feita por amadores ou até mesmo por profissionais desconhecidos, normalmente retratando cenas do cotidiano, objetos comuns e situações mundanas.

Foto: Robert Cutts

Foto: Robert Cutts

É aquela fotografia despretensiosa de família, férias, viagens, amigos em situações casuais. É aquela 3×4 que você fez correndo no centro da cidade pra colar na carteirinha do clube e no cartão da biblioteca. É também aquela 3×4 que te deram pra você guardar na carteira (e que já tá toda borrada porque a impressão derreteu).

Foto: OakleyOriginals

Foto: OakleyOriginals

No tempo do filme existia um tipo de câmera que a gente comprava em viagens quando não possuíamos uma câmera normal ou não estávamos com as nossas em mãos. Era uma espécie de câmera de emergência, as chamadas “câmeras descartáveis”. Você as encontrava em qualquer banca de jornal e lojinhas de souvenir. Elas quebravam o seu galho permitindo fazer umas 24 ou 36 fotos e só, nada mais! Por serem simples e populares, elas eram verdadeiras fábricas de fotografia vernacular.

Câmera Descartável Kodak

Câmera Descartável Kodak

Outro exemplo bem típico é aquela fotografia que você fazia sozinho, com seus amigos, namorados, namoradas ou familiares naquelas cabines (photo booth) quando passeava por aí no centro das cidades que você visitava e nos parques de diversão. Aliás, acho que os nossos smartphones assassinaram essas cabines, uma pena!

Fotos: Ken Mayer

Fotos: Ken Mayer

Por falar em foto de smartphone, fotografia vernacular são todas aquelas que você fez com os celulares que você colecionou na vida e que você largou lá na pasta meus documentos do seu computador e nunca se importou em organizar. Aliás, é aquela foto que você perdeu porque o seu computador deu pau e você teve que formatar seu HD que evidentemente não tinha backup.

Foto: Ron Jones

Foto: Ron Jones

Indo um pouco mais adiante, você também pode chamar de vernacular aquela fotografia do bonequinho do comandos em ação ou daquela peça de decoração antiga que você fez só pra vender no mercado livre.

ebay

Fotografia de objetos vendidos em sites de usados e leilões

Ah! E você também pode chamar de vernacular aquela caixa de fotografias antigas que foi encontrada em um porão, perdida no tempo, desprovida de autoria, de dono, anônima. E esse é um exemplo muito bom, porque por mais que você não saiba quem são as pessoas na foto ou até mesmo os lugares retratados, há toda uma aura sentimentalista nessas imagens que é definitivamente impossível não nos relacionarmos com elas.

Fotografia vintage encontrada

Fotografia vintage encontrada

Se você deixar a sua mente aberta, vai perceber que algumas dessas despretensiosas fotos têm um verdadeiro potencial de obra de arte ou um certo valor artístico, digamos assim. Há artistas que são inclusive fortemente influenciados por esse tipo de imagem, além de existirem exposições de arte montadas em torno desse tema.

Da pop Taylor Swift...

Da pop Taylor Swift…

... ao alternativo Sufjan Stevens.

… ao alternativo Sufjan Stevens.

O que torna a fotografia vernacular especial é o fato de que ela não se preocupa com reconhecimento, ou seja, ela não foi feita para ser mostrada para um grande público, ela é mais íntima, pessoal, familiar. Ela é a antítese da fotografia profissional.

"Todos atentos olhando pra tv." Foto: Mark Kelly.

“Todos atentos olhando pra tv.” Foto: Mark Kelly.

Artistas plásticos, designers gráficos e designers de produto conhecem bem o chamado Design Vernacular, um tipo de criação artesanal em que podemos tranquilamente traçar um paralelo com a fotografia vernacular.

Frases de caminhão

É basicamente aquele tipo de criação que vemos aos montes em nossas cidades em placas, caminhões, paredes de comércios de bairro, pontes e viadutos e que traduzem muito a cultura local. São materiais de comunicação, peças gráficas e até mesmo produtos que tem origens populares, ou seja, uma forma “não-acadêmica” de design, desenho ou projeto.

barrracharia

É muito fácil reconhecer um design vernacular pela tipografia (o conjunto de letras) utilizada para compor as palavras e também pelos ornamentos e ilustrações.

tipografia vernacular

Um exemplo bem característico é o famoso “Gentileza gera Gentileza” criado por José Datrino, o Profeta Gentileza, um personagem muito conhecido e querido pelos cariocas por ter espalhado frases de amor e bondade em ônibus, praças, pontes e praias no Rio de Janeiro e Niterói.

gentileza gera gentileza

Mais recentemente temos também o divertidíssimo Sérgio Ruiz com suas placas elogiando celebridades espalhadas pelas ruas de Curitiba.

sergio-ruiz-01

sergio-ruiz-02

Eu, particularmente, adoro navegar pelas águas do design e da fotografia vernacular porque me trazem sensações e lembranças muito boas e reconfortantes. Me vem a memória imediatamente os passeios pelos bairros que eu morei na infância, pelas cidadezinhas do interior com suas mercearias e todos aqueles momentos simples da vida que compartilhamos com as pessoas que admiramos, nos lugares que visitamos e vivemos.

Foto: jeff covey.

Foto: jeff covey.

Depois de passar mais de uma década fotografando com DSLR, me preocupando com todos os parâmetros e detalhes que envolvem a captura e a edição, percebi que por mais experiente que você seja, nunca há um clique verdadeiramente despreocupado. A tecnologia é avançada demais e as possibilidades criativas são infinitas. A gente até relaxa por vezes, mas só até certo ponto.

E é aí que mora a graça da fotografia vernacular pra nós que fotografamos muito. Dar esse passo para trás, fotografar pelo puro prazer do clique e do momento, fazer aquela fotografia “marota”, moleque, de raiz… Estar mais presente no momento do que mergulhado no viewfinder da câmera.

Vernacular Photo

Bom, acho que agora depois desse artigo fica o convite para você se juntar com seus amigos e familiares para garimpar aqueles velhos álbuns empoeirados de fotos ou até mesmo aquela pastinha cheia de fotos de 2004 que você nunca mais abriu no seu computador e curtir todas essas histórias. Quem sabe até derrubar umas lágrimas! Só não vai deixar elas caírem em cima das fotos…

 

You Might Also Like

9 Comments

  • Reply Rogerio Amorim 08/08/2016 at 10:36

    Gostei muito da matéria! Não sou fotografo profissional mas, se alguem perguntar, posso dize que sou um fotógrafo Vernacular (vou ate parecer importante..rs).

    • Reply Moysés Lavagnoli 08/08/2016 at 11:34

      hahahaha boa Rogério! Guarda essa resposta na ponta da língua porque ela é boa! Um abraço!

  • Reply Eder R Gomes 25/05/2017 at 09:38

    Excelente, obrigado… mais um aprendizado

  • Reply Cesar Rebelo 24/08/2017 at 11:51

    Moysés, tudo bem?

    Essa matéria me fez pensar… então todo fotografo de profissão é inicialmente um Vernaculista que levou a sério paixão pela arte da fotografia! E o que também me parece é que esta é uma condição “sine qua non” a julgar pelas imagens aqui postadas e pelas as que vieram a minha mente como flashes de tudo que já vi por aí…
    É por aí…?

    • Reply Moysés Lavagnoli 24/08/2017 at 14:51

      Cesar, é isso aí mesmo! E eu acrescentaria mais uma coisinha: mesmo os que se tornam fotógrafos profissionais e dominam todas as técnicas, não deveriam, na minha opinião, abandonar por completo seu lado “vernaculista”. Nos fins de semana com a família, reunindo com os amigos, ou seja, principalmente nessas situações em que a gente está compartilhando nossa vida com quem amamos, a fotografia vernacular tem um valor imensurável. Até mesmo para você fazer a fotografia de maneira relaxada, curtindo o momento com os entes queridos e não ficar gastando toda a sua atenção com parâmetros de câmera, composição, iluminação, cenário e aquela coisa toda… É curtir o momento e clicar! Se puder ter uma câmera analógica vintage pra fazer isso, comprada numa feirinha de antiguidades ou simplesmente uma lomo, aí você pode não só curtir o ato de produzir fotos vernaculares, mas também desfrutar essa experiência com estilo! Não sei pra você, mas esse ar nostálgico do filme pra mim dá um gostinho todo especial também… Abraço!

  • Reply Glademir Antonio Brustolon 24/08/2017 at 15:10

    Boa matéria, espero nunca esquecer deste nosso lado vernacular e, alimentá-lo…
    Um abraço.
    Glademir

  • Reply Camila 10/05/2018 at 17:16

    adorei a materia, exelente.

  • Comente!